PARCELE EM ATÉ 6X | FRETE GRÁTIS p/ SUL E SUDESTE EM COMPRAS ACIMA DE R$150

0

Seu carrinho está vazio

Agosto 19, 2019 6 translation missing: pt-BR.blogs.article.read_time

Em uma pesquisa recente apuramos um dado curioso: dentre 94 pessoas perguntadas, somente duas afirmam não sentir dores em seus joelhos frequentemente, recorrendo, muitas delas, a tratamentos contínuos, medicamentosos e a terapias complementares nem sempre tão eficazes.

Dentre suas causas, poderíamos elencar fatores como doenças metabólicas, articulares, lesões por movimento repetitivo, estresse, doenças correlacionadas e até mesmo o sobrepeso. Para essa última, lança-se também um alerta:

“Segundo as estimativas da OMS, de 2014, mais de 1,9 milhões de adultos em todo o mundo tinham excesso ponderal (39% da população mundial adulta – 38% dos homens e 40% das mulheres) e, destes, mais de 600 milhões eram obesos (13% da população mundial adulta – 11% dos homens e 15% das mulheres)” (MARQUES, 2017).

Esse dado da OMS nos lança em uma discussão: em um mundo cada vez mais populoso e com cada vez mais pessoas com sobrepeso, de que forma podemos afastar de nossa vida a possibilidade de vivermos dependentes de medicamentos e terapias para que deixemos de sentir as possíveis dores que poderão aparecer relacionadas a esses dados nunca antes observados em nossa história?

Se tendemos a comer cada vez mais alimentos industrializados, trabalhar cada vez mais e praticar cada vez menos atividades físicas que proporcionem bom condicionamento do nosso corpo e de nossa mente, será cada vez mais necessário desenvolver técnicas que possam atenuar os males gerados por esses novos estilos de vida.

E como qualquer outro tipo de mudança, é importante observar que quando se trata de mudança de hábito, ela pode ser acompanhada por grande demanda de esforço, observação e, por isso, pode consumir mais tempo, enquanto começar a tratar as dores causadas por nossos (maus) hábitos pode ser relativamente mais rápido.

Exercícios e práticas que podem ser executadas em nossas casas podem ser instrumentos poderosos para lidar com as dores

O nosso corpo é um equipamento robusto e alguns sinais, quando bem notados, podem indicar que uma determinada parte dele requer mais atenção.

Quando essa atenção nos é cobrada pela via da dor, as intervenções médicas passam a ser mais frequentes, bem como as medicamentosas. Em outros casos, a prática de determinada terapia complementar (como fisioterapia, pilates, natação, hidroginástica, hidroterapia, acupuntura, dentre muitas outras) pode ser já de grande alívio para quem sente dor.

Mas utilizando outras técnicas, também é possível que tenhamos uma melhora muito significativa no quadro de dor, principalmente quando ela deriva de má postura, sobrepeso e até mesmo daquelas que se desenvolvem através de práticas do cotidiano, como as relacionadas ao trabalho, ao cuidado com a casa ou até mesmo através da prática esportiva.

Para aliviar a dor, observe antes a sua postura

#4

Uma musculatura da panturrilha fortalecida e pés que conseguem distribuir corretamente o peso do corpo em toda a sua extensão são ótimas soluções para tratar em casa e sem medicamentos as dores que sentimos em nosso corpo.

Existe uma técnica muito simples e de ótimos resultados que pode ser executada em qualquer lugar onde você possa ficar descalço.

Para começar, recomendamos escolher um espaço em que o piso não seja liso, não esteja em contato com a água ou qualquer outra substância que o torne menos estável, colocando a pessoa em risco de queda e lesões muito mais sérias e complexas do que é, muitas vezes, a dos joelhos, tornozelos, quadris ou coluna.

Então, tão logo você se certifique de que realmente é possível ficar confortável e seguro nesse lugar, fique descalço, retirando também suas meias. Em contato com o chão, observe se todas as partes do seu pé encostam no chão: dedos, calcanhar e peito. Verifique se o arco do pé se encontra a pelo menos um dedinho de distância do chão.

Analisado isso tudo, note: os dedos dos seus pés apontam para a frente? Se sim, ótimo! você já está em um ótimo começo. Se não, é hora de começar a adaptar essa postura e corrigir o mais breve possível esse posicionamento dos seus pés, sempre observando a posição em que eles repousam toda vez que você para de caminhar.

É importante também que, para que haja uma melhor distribuição de peso, seus pés permaneçam sempre alinhados com o seus quadris, respeitando a distância que existe de uma ponta a outra dele. Isso faz com que o seu peso fique distribuído entre seus dois pés, não sobrecarregando nenhum deles e tampouco seu tornozelo.

Já seus joelhos devem ser mantidos relaxados, sem que fiquem eles super estendidos para trás. Isso provoca um desalinhamento tanto das estruturas ósseas dos seus joelhos quanto da sua coluna lombar, fazendo com que ela fique com uma aparência mais “cavada”, o que também desalinha seu bumbum.

Essas correções posturais começarem a gradativamente ser feitas, seu corpo vai começar a se reestruturar, causando também enorme alívio das dores.

Para tratar a dor em seus joelhos, fortaleça sua panturrilha

#3

Há um exercício muito simples que podemos fazer em casa e que transforma completamente a nossa postura e começa também a tratar as dores que sentimos em nossos joelhos.

Basta que, aproveitando esse mesmo espaço onde você observou sua postura, você fique na ponta de seus pés. É realmente muito simples: alinhe seus pés, observe a distância entre seus pés em relação ao seu quadril e suba na ponta dos pés. Sinta a flexão que todo o seu pé faz, sinta como seus dedos são pressionados contra o chão. Tente perceber se há mais pressão em uma parte do que em outra do seu pé.

Depois, tão logo se sentir seguro, dê alguns passos mantendo essa posição. Depois, pare, relaxe, e comece a subir em cada ponta alternando os pés.

Esse exercício, se feito por no máximo 15 minutos diariamente, pode fortalecer a musculatura interna da sua panturrilha e redistribuir o peso do corpo corretamente por sobre seus dedos, tratando dores ao mesmo tempo que as previne.

Para fortalecer seu joelho, use uma cadeira

#6

Esse exercício deriva do anterior, mas utiliza uma cadeira para melhor equilíbrio e para conferir mais segurança a quem o for fazer.

Se posicione, ainda descalço, atrás do encosto de uma cadeira e coloque suas mãos ali, firmemente, respeitando o alinhamento natural dos seus ombros – que devem estar na mesma linha em que suas mãos estão posicionadas.

Aí então, comece a observar a posição dos seus pés no chão, como eles encostam e se estão seguros e alinhados. Feito isso, dobre uma de suas pernas, respeitando o ângulo de 90 graus em relação à sua coxa. Mantenha a perna dobrada nessa posição e, enquanto isso, suba na ponta de seu pé, apoiado ainda no chão. Conte até 10 mentalmente, respeitando o fluxo de respiração e desça ao chão o pé que estava mantido elevado, equilibrando-se na ponta. Depois, também lentamente, desdobre a outra perna.

Relaxe e repita o exercício alternando sempre entre uma perna e outra até fazer 15 repetições de 10 segundos.

Para realinhar os quadris e distribuir melhor o peso em seus pés

#8

Sente-se confortavelmente em uma cadeira e alinhe seu corpo. Verifique se os ossos que temos em cada parte do bumbum estão em contato com o assento da cadeira, mantendo ali o corpo todo. Repare se suas costas encostam no assento. Se não, aproveite para sentar sobre seus ísquios enquanto se acomoda, repousando suas costas ali.

Também note se seu abdômen está contraído o suficiente para manter sua coluna ereta e se suas pernas estão formando um ângulo de 90 graus e se os seus pés encostando no chão.

Agora, usando uma bolinha de tênis, role-a pelo chão usando o seu pé, variando as pressões que for aplicar em cada ponto de toda a sola do pé.

Alterne sempre entre um pé e outro, aproveitando a massagem.

Para fortalecer seus dedos dos pés, use essa técnica

#7

Uma técnica muito simples pode ser muito útil para reabilitar os seus dedos dos pés, que são ferramentas fundamentais para o nosso equilíbrio e para a distribuição do nosso peso pelo corpo todo.

Essa técnica é muito simples e de muito fácil execução e basta que utilizemos um lenço, fronha ou qualquer tecido velho que possa ser colocado no chão.

Aproveitando a posição anterior, em que recomendamos que você se sentasse em uma cadeira, jogue o lenço no chão, na frente de seus pés.

Agora, usando só os dedos de cada pé, alternadamente, recolha todo o lenço.

Verifique se seus dedos se mexem em bloco (todos de uma só vez) ou você consegue controlar cada um ao dar mais atenção a ele. Se não conseguir mexer cada dedo isoladamente, se concentre e pratique esse exercício de fortalecimento em sessões de 10 minutos diárias ou de 15 repetições com cada um dos seus pés.

Ele é primordial para reconferir equilíbrio e sensibilidade aos pés, para que nós nos sintamos mais seguros para caminhar, cuidar da casa, trabalhar, estudar ou praticar esportes.

REFERÊNCIAS

https://www.organichomeremedies.com/2018/04/28/these-6-exercises-can-easily-relieve-your-foot-hip-and-knee-pain/

http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2182-51732017000300007